Uma equipe de pes­qui­sa­do­res da Uni­ver­si­dade de York (Ingla­terra) mos­trou que rou­pas com lis­tras ver­ti­cais cria a ilu­são óptica de um corpo mais volu­moso, ao con­trá­rio da crença popu­lar de que estas “afi­nam” e as hori­zon­tais fazem a pes­soa pare­cer “mais gorda”.

Segundo o jor­nal bri­tâ­nico “The Times”, para che­gar a esta con­clu­são, os cien­tis­tas uti­li­za­ram 200 pares de fotos de mulhe­res ves­ti­das com peças de lis­tras ver­ti­cais e horizontais.

Então, pedi­ram que um grupo de volun­tá­rios indi­casse a ima­gem da mulher em cada par que con­si­de­ra­vam mais magra.

Para sur­presa de todos, inclu­sive da indús­tria da moda, as mulhe­res ves­ti­das com rou­pas de lis­tras hori­zon­tais foram des­cri­tas como mais magras, com uma “grande” dife­rença de seis pon­tos percentuais.

No entanto, Thomp­son e sua equipe não são os pri­mei­ros a des­co­brir esta rea­li­dade per­cep­tiva: o cien­tista ale­mão Herm­man von Helmholtz já havia des­crito o mesmo em 1860, e che­gou a escre­ver um livro para reco­men­dar que as mulhe­res ves­tis­sem peças com lis­tras hori­zon­tais, e não dos ver­ti­cais, por­que as fazia pare­cer mais altas.

Helmholtz pro­je­tou duas séries de linhas para­le­las, ums ver­ti­cal e a outra hori­zon­tal, que encai­xa­vam em um quadrado.

Os dois qua­dra­dos tinham o mesmo tama­nho, no entanto, as linhas ver­ti­cais pare­ciam cobrir maior área, o que o cien­tista deno­mi­nou a “ilu­são dos quadrados”.

O conhe­ci­mento de Helmholtz se per­deu no século XX, quando se ins­tau­rou, de forma inex­pli­cá­vel, a idéia de que lis­tras ver­ti­cais favo­re­ce­riam uma silhu­eta delgada.

No entanto, os esti­lis­tas podem res­pi­rar tranqüi­los, por­que Thomp­son garante que a crença de que rou­pas pre­tas “ema­gre­cem” é ver­da­deira, por isso que não terão que mudar todos os padrões da indústria.

Fonte