Qual­quer pes­soa pode ser um pedófilo

Pode ser qual­quer um: velho ou jovem, rico ou pobre, edu­cado ou sem edu­ca­ção e de qual­quer raça. Porém, pedó­fi­los demons­tram freqüen­te­mente carac­te­rís­ti­cas seme­lhan­tes, mas isto são ape­nas indi­ca­do­res e não deve ser assu­mido como algo em que os indi­ví­duos com estas carac­te­rís­ti­cas são pedó­fi­los. Mas, estas carac­te­rís­ti­cas ali­a­das a um com­por­ta­mento ques­ti­o­ná­vel, podem ser um alerta que alguém é um pedófilo.

Carac­te­rís­ti­cas

. Freqüen­te­mente o pedó­filo é do sexo mas­cu­lino e tem mais de 30 anos de idade.
. Pos­sui pou­cos ami­gos na faixa etá­ria dele, ou ape­nas um.
. Se casado, a rela­ção é fun­dada no com­pa­nhei­rismo, sem rela­ções sexuais.

Gos­tam de ati­vi­da­des infantis

. Ele é fas­ci­nado por ati­vi­da­des de cri­ança.
. Sem­pre des­creve as cri­an­ças como puras e ange­li­cais mas, na mai­o­ria das vezes, é impró­prio e exa­ge­rado.
. Tem pas­sa­tem­pos de cri­ança, como cole­ci­o­nar brin­que­dos caros populares.

Têm pre­fe­rên­cia por cri­an­ças perto da puberdade

. Os pedó­fi­los têm, freqüen­te­mente, uma idade espe­cí­fica de cri­ança que eles obser­vam. Alguns pre­fe­rem as cri­an­ças mais novas,outros, pre­fe­rem as pré-adolescentes perto de puber­dade, que são sexu­al­mente sem expe­ri­ên­cia, mas têm curi­o­si­dade sobre sexo.

. Geral­mente, o ambi­ente dele ou seu quarto é deco­rado com moti­vos infan­tis ou com algo que atrairá a cri­ança ou ado­les­cente que ele está ten­tando assediar.

Tra­ba­lho

Os pedó­fi­los pro­cu­ram tra­ba­lhar em ati­vi­da­des que envol­vam con­tato diá­rio com crianças.

Víti­mas

. O pedó­filo pro­cura por cri­an­ças tími­das, pobres ou com pou­cos pri­vi­lé­gios em casa. Ele as ali­cia com aten­ção, pre­sen­tes, via­gens para luga­res dese­já­veis como par­ques de diver­sões, jar­dim zoo­ló­gico, a praia, etc.

Mani­pu­la­ção do inocente

Os pedó­fi­los pos­suem a habi­li­dade de mani­pu­lar suas víti­mas tornando-se amigo delas. Em seguida, mostram-se inte­res­sa­dos em ouví-las sobre seus pro­ble­mas pes­so­ais con­quis­tando sua a estima. Então, as atrai com ati­vi­da­des adul­tas, que são freqüen­te­mente sexu­ais, como fil­mes ou ima­gens. Ofe­rece álcool ou dro­gas, impe­dindo com isso que suas víti­mas resis­tam aos seus ataques.

Sín­drome de Estocolmo

É comum a cri­ança ou o ado­les­cente desen­vol­ver uma certa afe­ti­vi­dade por seu pre­da­dor e dese­jar sua apro­va­ção. A vítima acaba por identificar-se emo­ci­o­nal­mente com seu abu­sa­dor, a prin­cí­pio como meca­nismo de defesa, por medo de reta­li­a­ção e/ou vio­lên­cia. Lem­brando que o pro­cesso da sín­drome ocorre sem que a vítima tenha cons­ci­ên­cia disso.

Ami­zade com os pais

O pedó­filo ten­tará desen­vol­ver uma rela­ção íntima com os pais da cri­ança ficando, assim, mais pró­ximo delas. Uma vez den­tro da casa, eles têm mui­tas opor­tu­ni­da­des para mani­pu­lar as cri­an­ças– usando culpa, medo, e amor para con­fun­dir sua vítima.

Per­sis­tên­cia

Os pedó­fi­los são incan­sá­veis em alcan­çar seus obje­ti­vos e tra­ba­lha­rão para desen­vol­ver rela­ções com suas víti­mas, paci­en­te­mente. Não é inco­mum para eles esta­rem ela­bo­rando uma lista longa de víti­mas poten­ci­ais. Mui­tos pedó­fi­los acre­di­tam que não está errado o que fazem e que tendo sexo com uma cri­ança, é real­mente “sau­dá­vel” para ela.

Tra­du­ção “Bra­sil Con­tra a Pedofilia”

Fonte